browser icon
Você está usando uma versão insegura do seu navegador web. Por favor atualize seu navegado!
Usando um navegador desatualizado torna seu computador inseguro. Para mais segurança, velocidade, uma experiência mais agradável, atualize o seu navegador hoje ou tente um novo navegador.

Sudeste Racefest 2015 – O sabor agridoce de um 4º lugar em um grid lotado.

Posted by on 17/08/2015

Se fizermos uma rápida consulta ao dicionario, podemos encontrar uma expressão que defina bem o quarto lugar que conquistamos em Matias Barbosa/MG após uma sequencia de expressivas vitorias.
 
agridoce
a.gri.do.ce
adj m+f (agri2+doce) 1 Simultaneamente agro e doce. Var: agridulce, agro-doce. 2 Que causa prazer misturado de amargura. sm Gosto ou sabor a um tempo doce e amargo.

O lado “amargo” logicamente se trata de não ter a mesma performance apresentada nas outras duas etapas em que cravamos bem e sem apertos o primeiro lugar com media de pontuação baixíssima (menor pontuação melhor no Rally de Regularidade), também em minha humilde opinião sobre o fato de erros “básicos” terem ocorrido, erros que apesar de básicos “arruinou” nossa corrida.

A equipe organizadora muito atenta e disponível, incluindo a sempre simpática Mariana (esq) que é com certeza um trunfo da equipe.

Para quem entende mais profundamente sobre Rally de Regularidade existe uma coisa que não pode NUNCA estar errada, aonde a precisão de um único segundo pode após algumas dezenas de PCs (São os locais que devemos passar em tempo pré determinado, um pouco adiantado ou atrasado, ganhamos pontos de atraso/adianto por isso quanto menor o numero de pontos, melhor!) acumular uma pontuação imensa e inviabilizar a prova.

Resumidamente, se você não iniciar o cronometro na hora certa você esta MORTO, devolva o rastro (O localizador GPS), agradeça e vá para casa, simples assim!! Existe outro jeito? Sim.. Você pode tentar localizar outro competidor de sua categoria, tentar ter uma ideia de onde deveria estar e ir seguindo as referencias usando o seu odômetro (que diz algo parecido com: “No quilometro 1.210 vai existir uma porteira a sua esquerda, pegue a direita” ou seja em resumo, você pode pretender completar a corrida, não ganhar alguma coisa alem de um “boa sorte na próxima vez” mas foi pior…

Cristiano Serpa (pézinho) incansável ao lado do representante da Federação Mineira de Automobilismo.

Alem do cronometro que estava errado, a quilometragem na planilha simplesmente não batia com nosso odômetro, não funcionava e o erro chegava a centenas de metros sendo que as referencias eram dadas com precisão de dezenas, ou seja, existia casos em que um “pegue a direita e um pegue a esquerda estavam separados por 30 metros, por exemplo”.

Sem cronometro, sem odômetro, correndo em Minas Gerais pelo Campeonato Carioca que foi dessa vez fundido com o novo campeonato mineiro dando origem ao Sudeste Racefest, enfim estávamos completamente perdidos. O desespero foi tamanho que voltamos ao PORTAL DE LARGADA!! Voltamos a praça aonde foi dada a “Largada”. Digamos assim, literalmente estávamos prestes ao passo “se você não iniciar o cronometro na hora certa você esta MORTO, devolva o rastro (O localizador GPS), agradeça e vá para casa, simples assim!!” dentro da Judith uma equipe perdida sem acreditar no que estava acontecendo e pior, sem entender o que deu de errado, a logica foi esquecida do lado de fora do carro e o desespero e confusão expressados em berros e discussões, foram 3 minutos que contei no relógio e a minha frente um cronometro débil mostrava 23 minutos de prova até que…

“O cronometro que esta valendo é esse aqui que eu iniciei, estamos muito atrasados, o odômetro não bate vamos seguir as referencias na unha”, logico que mais um monte de berros começou, mas eu não tive os mesmos 3 minutos de paciência e em 10 segundos expressei o que seria feito “Ou é isso ou é casa”.

Evento lotado e com certeza um recorde de inscritos batido, somente na categoria turismo foram dois grupos de 17 inscritos!!

Mesmo sem ninguém entender o que estava ocorrendo, fizemos, corremos e pelo nosso atraso as medias de velocidade pareciam altas demais, muito difícil de tirar o atraso, pois existiam trechos que uma pessoa normal pensa “cara aqui é 10 km/h e se passar, a planilha indicava 30 km/h mas eu tinha que ir a uns 60 km/h” e fomos assim, com um cronometro que ninguém confiava, um odômetro que dava erros de 500 a 800 metros e muitas pegadinhas, muitas mesmo, superar a primeira parte do Rally foi uma missão absurda o nível foi alto, bem alto no trecho dos balaios, bom pelo menos para quem não tinha cronometro, odômetro e estava mais de 20 minutos atrasado….

Chegamos cansados, ainda confusos com o que tinha ocorrido mas felizes, porque o carro mais uma vez se superou existiu um leito de rio para superar com direito a um alto sem visão logo depois que alguns carros 4×4 sofreram para passar, o trecho depois foi cancelado e um desvio proposto mas conseguimos passar de primeira, mérito desse maravilhoso carro que não esta preso mais a fabricante ou qualquer coisa que o valha mas sim ao que representa e isso só foi o “pior” obstaculo.

Ainda tentando entender e nos recuperando do susto juntos com a equipe Virgulino “Malditos balaios!”

A prova foi boa, bem organizada o esforço absurdo novamente de Pézinho e sua equipe em especial a Mariana que sempre se mostra fundamental deixaram o nível altíssimo, sem faltar nada mesmo com evento lotado, com certeza quebra de recorde de inscritos.

Você deve achar que o lado “doce” se refere a ainda assim conseguir um 4º lugar em um grid de 11 inscritos mesmo sem cronometro, odômetro em uma região que não tínhamos experiencia, com um terreno absurdamente cheio de pegadinhas (laços) em um descampado que não é nosso ponto forte, certo? Sim esse 4º Lugar que não foi nosso primeiro 4º lugar e definitivamente não sera nosso ultimo e se tivemos sorte sera o menor resultado que teremos, mas também não acho o caso para alguém que espera ficar na pista por um bom tempo, ou seja, acontece! Na vida, na pista, no dia a dia, se você joga o jogo uma hora ou outra as coisas não saem como se espera, enfim, se você acha que o 4º lugar apesar de todos esses erros e apuros é o lado “doce” lamento, esta errado.

Fizemos uma excelente prova de recuperação, garantimos um 4º lugar, estamos bem no campeonato e  com direito a lembrança de minas!

Fizemos uma excelente prova de recuperação, garantimos um 4º lugar, estamos bem no campeonato e com direito a lembrança de minas!

O lado doce na verdade foi conseguir completar a prova sem que ninguém da minha equipe tenha se mandado de dentro do carro, mesmo dentro de um inferno de duvidas, frustração sem fim e desespero, acreditem isso acontece de verdade e quem corre sabe disso, mesmo assim, conseguimos nos manter coesos e continuar rolando os dados, se conseguimos completar essa prova foi pelo talento e dedicação de Lia e Rafael Souza, vocês foram fantásticos, acreditaram que fosse possível completar e conquistaram mais pontos para a equipe no campeonato, saiu barato muito barato todos os apuros que vocês encararam nesse ABENÇOADO quarto lugar que vocês trouxeram para casa foi um verdadeiro milagre, nunca presenciei tantos problemas, tantas variáveis dando errado em um grid grande!! Um dos maiores até o momento de nossa categoria se vocês tivessem jogado a toalha sem passarmos pelos PCs (pelo menos 2/3 deles) iriamos receber 1 PONTO e não os 12 que vocês trouxeram para casa, não são os 16 pontos de primeiro lugar, mas valem muito. Obrigado!

Em breve os resultados oficiais e fotos do evento estarão disponíveis pela organização!! Atualizaremos aqui!! E apenas mais um recadinho para a organização do evento, principalmente para o Sr Cristiano Serpa (O vilão que bola os desafios e o fã que curte quando superamos os mesmos).

“Hey Serpa! Passamos todos os obstáculos, inclusive o rio com o paredão na primeira tentativa e correndo para tirar o atraso!! #VAIJUDITH!!!”

Um abração e até a próxima!

Deixe uma resposta